Carol-tratadas-3

O filme O Curioso Caso de Benjamin Button foi lançado em janeiro de 2009. Nele, há uma bailarina, interpretada pela maravilhosa Cate Blanchett. Eu gostaria de dizer que meu início no ballet se deu em função da influência de bailarinas “reais”, porém, foi a ruiva Daisy que mexeu com sonhos adormecidos dentro de mim.

Em 2009, pouco se ouvia falar sobre “ballet adulto”. A primeira reportagem que li a respeito trazia a atriz Alinne Moraes de bailarina na capa da revista de domingo do jornal O GLOBO. Eu, que sempre sonhei com o ballet clássico, mas descobri tardiamente essa paixão, fui imediatamente tocada pela foto. “Que ousado! É possível, afinal” – pensei. Daí a importância da identificação e da disseminação do conteúdo relacionado ao ballet adulto. E é por isso que sigo falando, sigo compartilhando esse universo na internet, a fim de torná-lo real, tornar o sonho possível para quem ainda não teve coragem de começar, seja por vergonha, preconceito, insegurança ou simplesmente falta de informação.

Resolvi então criar um blog. E um tanto desajeitada, ansiosa e algumas vezes perdida (porém, sempre sincera), fui registrando em palavras e imagens a minha jornada, até chegar no YouTube, em 2015. Encontrei no audiovisual, assim como muitos comunicadores e criadores de conteúdo da minha geração, o meio ideal para seguir dividindo as minhas experiências dentro de sala de aula e nos palcos.

Dançar adulta é uma provação diária, um frio na barriga que não troco por nada. O ballet é uma aventura, das mais emocionantes e gratificantes. O que você está esperando para começar?